Docker pronto para o mundo corporativo

Um resumo da mudança dos produtos da Docker

Um dos questionamentos que mais ouvi sobre Docker em 2016 foi a falta de uma versão LTS (Long-Term Support). As empresas argumentavam que o ciclo frenético de versões do Docker gerava alguns transtornos para eles porque não conseguiam atualizar o Docker na mesma velocidade dos lançamentos das versões. Outro questionamento recorrente era que falta de retro compatibilidade da API das novas versões lançadas. No início de 2017 a Docker alterou o nome da Docker Engine para Docker Community Edition e a Docker Engine CS (Commercially Supported) para Docker Enterprise Edition.

Outro questionamento que ouvi bastante era como fazer para entregar software pago? Se fosse VM, bastava baixar a imagem e cadastrar a licença. Para isso foi criado o Docker Store, é um markteplace para imagem de containers, plugins, etc. Além da mudança de nome dos produtos, também foi alterado a lógica da numeração das versões.

Community Edition

É a versão gratuita do Docker Engine, ela roda nas principais distribuições Linux (Debian, Ubuntu, CentOS e Fedora), MacOSX, Windows 10 e na AWS e Azure. Ela tem uma versão de “desenvolvimento” chamada Edge e lançamento mensal, a estável (stable) terá novas versões a cada três meses. As versões agora são numeradas ano.mês: 17.03, 17.06, etc.

Enterprise Edition

Versão paga do Docker, é tem mela também terá novas versões a cada três meses mas com suporte a bug fixes e correções de segurança por um ano. A numeração das versões segue a mesma lógica da versão estável da Community Edition. Ela roda no Ubuntu, Red Hat Enterprise Linux, CentOS, Oracle Linux, Suse Linux Enterprise Server, Microsoft Windows Server 2016, Azure e AWS (Amazon Web Services). Um outro diferencial da versão Enterprise Edition é a criação de certificação de serviços e produtos certificados como a maioria das empresas que oferecem serviços “Enterprise”.

 
comments powered by Disqus