Lideranca para novos iniciados

Liderança é um assunto recorrente em texto de diferentes segmentos. Quando tive a oportunidade de estar numa posição de liderança, muitas das coisas que aprendi foram do jeito difícil, errando bastante. Estas são algumas das lições aprendidas.

1 - Não tente atender todas as demandas ou responder a todos questionamento com soluções.

Muitas pessoas se colocam muita pressão para estar sempre disponível para responder a qualquer demanda, bem como, entregar o mais rápido possível. Muitas vezes não questionamos o porquê destas demandas ou mesmo qual o contexto para executar. Apenas tentamos entregar o mais rápido possível, a motivação é variada, vai de atingir as metas a agradar as lideranças.

Ao estar numa posição de liderança, isso tende a piorar. Principalmente em muitas organizações psicologicamente inseguras porque as diversas áreas de um organização querem contextualizar tudo o que acontece, demandas que eles tem para você (sua área) na esperança que finalmente eles conseguiram ter alguma prioridade. Você prontamente escutar e atender todas.

As outras lideranças irão requisitar muitas coisas, quase sempre a última coisa que irão pedir será a mais importante de todas. Se você tentar atender todas irá ter muitas tarefas para executar simultaneamente, um volume infidável de tarefas (backlog) aguardando para serem executadas. Organizar o fluxo das demandas, como elas entram, como são priorizadas e quando é realmente entregue é o que ajudará organizar o trabalho das pessoas que estão na mesma equipe que você.

2 - Tenha a humildade em pedir uma segunda opinião.

Muitas pessoas são colocadas numa posição de liderança porque fazem um excelente trabalho na sua atividade técnica. Ao serem alçadas como líder de uma área, muitas das habilidades desenvolvidas não serão usadas num primeiro momento, elas terão que desenvolver novas habilidades.

Muitas vezes, mas muitas vezes mesmo, você se sentirá um incompetente e pensará que a função sentiá-se mais confortável. Tudo bem, não entre em pânico, é muito provável que você irá voltar a exercer uma função técnica num futuro novamente, ou mesmo voltar a função anterior.

Muitas decisões que você tomaria do ponto de vista da função anterior irá parecer ser a mais correta, mas numa posição de liderança podem não ser a melhor decisão. Peça uma segunda opinião sempre que possível, visões diferentes sobre um problema/solução ajudam a termos diferentes perspectivas. Mesmo que as outras opiniões não sejam muito efetivas num primeiro momento, elas nos ajudam a ter mais confiança sobre nossas decisão.

3 - Ouvir mais do que falar.

Desculpem recorrer ao famoso ditado popular - “Você tem dois ouvidos e uma boca”. Está empolgado por liderança uma equipe e acha que sempre que explicar os detalhes para cada atividade, tomada de decisão, etc. Não faça isso, as pessoas que estão sendo lideradas por você geralmente tem a percepção diferente da sua. Isso não quer dizer que elas não devem ter o contexto das tarefas.

Como saber o que dizer? Fato, vai errar bastante até calibrar o que dizer e como dizer.

Talvez, uma boa dica seja:

4 - Dicas sobre liderança? Alguns atalhos não estão escritos.

Ajuda muito no desenvolvimento das habilidades de liderança ter conversas frequentes com outras pessoas em funções de liderança, procure as pessoas nas quais você admira. Seja objetivo quando conversar com elas, dê o contexto do problema, suas dúvidas e solução na qual você pensou ser a correta.

5 - Dizer não para qualquer oportunidade totalmente sensacional.

Esta talvez seja a mais difícil de todas porque muitas vezes significa abrir mão de milhares, milhões ou bilhões de dinheiros na perspectiva da liderança. Em organizações psicologicamente inseguras é mais difícil de dizer não, mas não menos importante porque as novas oportunidades não estão alinhadas com a estratégia da organização, ou são oportunidades não fundamentadas em dados estatísticos.

Dizer não, também significa dizer sim numa outra perspectiva se há dados estatístico que fundamente ou a organização tem ciência das consequências.

6 - Use os dados para ajudar decisões difíceis

Tomar decisões em dados contextualizados ajudam muito a direcionar um debate sobre estratégia ou qual direção a seguir

Em muitos debates sobre qual tecnologia adotar ou direção a seguir perde-se muito sobre preferências e gostos. Esses debates são mais produtivos quando há dados estatísticos qualitativos, consequentemente, a decisão tem menor probabilidade de estar equivocada. Não se esconda atrás dos dados para as decisões que tomou ou tomará, dados estatísticos não decidem o que fazer. Eles mostram caminhos mais prováveis a seguir mas decisão no fim das contas é das lideranças.

7 - Dê o protagonismo para equipe

Ao estar numa primeira vez numa posição de liderança, quase sempre temos como referência nossa experiência anterior. Um armadilha comum é usar essa referência para estimar prazos da equipe, as outras pessoas não são você, elas tem uma experiência de vida diferente da sua, maneiras de aprender e produzir num ritmo diferente do seu.

Desapegue em tomar a execução das atividades por conta própria, ajude-nos a terem o protagonismo, a serem as a melhor versão deles. Talvez o mais importante e mais difícil, torne-os melhores do que você.

8 - Não puna-se por falhar

Muito comum ao fazer a transição de carreira ter em mente a efetividade da função anterior na execução das tarefas. Lembre-se ao estar numa função de liderança a primeira vez de que está desenvolvendo novas habilidades e isso leva tempo, como no início da carreira. Portanto, irá errar bastante.

Falhar é parte do processo de aprendizagem, muitas organizações a falha é punida severamente. Um dos grandes desafios é como criar ou gerenciar um ambiente no qual possa falhar e aprender com o erro.

9 - A regra de ouro.

Não há!

Há diversos textos, livros, treinamentos, cursos com fórmulas automágicas. Use as que fizer sentido para você, não precisa seguir estritamente o que dizem pq a realidade sempre é diferente para

Cultura, experiência e outros fatores influenciam como uma liderança deve ser. É provável que nenhum dos itens sejam úteis para você e tudo bem. Talvez, a única regra de ouro é não enlouquecer e também evitar de que os outros trabalhem pilhados demais. Hoje, isso também é chamado de Burnout.

Se chegou aqui, segue algumas sugestões para ler

The Engineer/Manager Pendulum

The Manager Path

Resilience Management

comments powered by Disqus